quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

O Lugar Sem Retorno

[…] os olhos do SENHOR vosso Deus estão sobre [a terra] continuamente, desde o princípio até ao fim do ano. (Deuteronômio 11:12)

Deuteronômio 11:7-12.

O Lugar Sem Retorno

Ray Stedman há muito tempo pastor na Califórnia, disse um dia à sua congregação: “Na véspera de Ano Novo, mais do que em qualquer outra ocasião em nossas vidas, percebemos que não podemos voltar no tempo… Podemos olhar para trás e relembrar, mas não podemos voltar a viver um único momento sequer do ano que passou”.

O pastor Stedman, então, referiu-se à ocasião em os israelitas estavam às margens de uma nova oportunidade. Após quatro décadas vagueando pelo deserto, essa nova geração deve ter-se perguntado se eles tinham fé e resistência para possuir a Terra Prometida.

Seu líder, Moisés, lembrou-lhes de que eles tinham visto “todas as grandes obras que fez o SENHOR” (Deuteronômio 11:7) e que seu destino era “a terra de que cuida o SENHOR vosso Deus: os olhos do SENHOR vosso Deus estão sobre ela continuamente, desde o princípio até o fim do ano” (Deuteronômio 11:12).

Na véspera de Ano Novo pode ser que temamos o futuro por causa de acontecimentos do passado, mas não precisamos ficar atados às nossas memórias, porque podemos prosseguir em frente concentrados em Deus. Do mesmo modo como o Senhor cuidou da terra e do Seu povo, assim também Seus olhos estarão sobre nós.

O contínuo cuidado de Deus se estenderá a cada dia do novo ano. Podemos contar com essa promessa.

O nosso futuro é determinado pelo Pai da eternidade.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

O Céu na Terra?




Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra. (Colossenses 3:2)
Eclesiastes 2:15-26.

O Céu na Terra?

O construtor de um extravagante condomínio em Singapura fez a propaganda do seu novo empreendimento usando a seguinte frase: “Redescubra o Céu na Terra”. Suponho que ele queria transmitir aos possíveis compradores a idéia de que a aquisição seria tão luxuosa, que teriam a impressão de estar morando no céu aqui na terra.

Salomão, o escritor de Eclesiastes era um homem extremamente rico (Eclesiastes 1:12). Ele tentou encontrar o céu na terra e tinha os recursos para viver uma vida tão luxuosa quanto desejasse (Eclesiastes 2:1-10). Ainda assim ele não era satisfeito. Estava tão desiludido com a vida que a descreveu com apenas uma palavra – “vaidade” (ou “sem medo”). E repetiu a palavra oito vezes somente no segundo capítulo de seu livro. Enquanto olhava para a vida “debaixo do sol” (Eclesiastes 2:18), sentia-se vazio e insatisfeito. Basicamente todo o seu esforço era fútil. Chegaria o dia em que teria que renunciar a todos os seus bens e deixá-los para outra pessoa (Eclesiastes 2:18).

Se você é cristão, pode esperar pela promessa de que Cristo foi preparar um lar celestial (João 14:2). Por esta razão, Paulo aconselhou àqueles que estão desfrutando daquilo que Deus concedeu: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra” (Colossenses 3:2). Não tente encontrar o céu na terra. Você não conseguirá – não importa o quanto procurar!


Aqueles que firmam seus corações no céu, não se apegam aos bens terrenos.


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Chamado Para Servir

Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir […]. (Marcos 10:45)
Marcos 10:35-45.

Chamado Para Servir

Quando George W. Bush era presidente, ele fez uma visita-surpresa para servir o jantar de Ação de Graças aos soldados combatentes no exterior. Um repórter que cobria a história pensou que alguns iriam guardar a refeição como lembrança, justificando: “Não é todo dia que alguém é servido pelo Presidente”.

Todos os políticos eleitos são servidores públicos – de forma geral e simbólica – portanto, estão sempre servindo. O ato de servir a refeição não deveria ter sido uma das maiores notícias daquele dia.

Muitas pessoas têm o desejo genuíno de servir ao próximo, mas para alguns, o servir é realmente para servir-se a si mesmo. Foi exatamente o que aconteceu quando Jesus treinava Seus discípulos. Eles tinham a impressão de que segui-lo os transformaria em grandes homens.

Mas Jesus rapidamente os corrigiu: “Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem autoridade. Mas entre vós não é assim” (Marcos 10:42-43). Jesus deixou claro que eles estavam sendo treinados para se tornarem servos: “Quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos” (Marcos 10:44).

Podemos nos inscrever para quantos seminários de treinamento de liderança quisermos, mas os únicos líderes bons serão somente aqueles que, em primeiro lugar e acima de tudo, são bons servos.


Um bom líder é um bom servo.

domingo, 8 de novembro de 2009

A Igreja Perseguida

Mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome. (1 Pedro 4:16)

1 Pedro 4:12-19.

A Igreja Perseguida

Na manhã de outubro de 2006, uma mulher e seus seis filhos testemunharam um ataque ao marido e pai. Os marginais tentaram forçá-lo a negar Jesus, mas ele se recusou e continuou a proclamá-lo como Senhor, e morreu orando por sua família. Em meio a esta dor, a família está determinada a seguir a Cristo.

Outro homem foi condenado a três anos de prisão por, supostamente, insultar outra religião. Ele declarou abertamente que é cristão e que ama Cristo, ele e sua família continuam fiéis e recusaram-se a negá-lo.

A perseguição a fé cristã é tão real no mundo atual quanto fora para os crentes judeus da igreja primitiva a quem Pedro escreveu: “Ora, o Deus de toda a graça […] depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar” (1 Pedro 5:10).

Hoje é o Dia Internacional de Oração pela Igreja Perseguida. Os pedidos de oração da missão Portas Abertas, um ministério comprometido com o encorajamento aos cristãos perseguidos, pode direcionar nossas orações:

– Ore pela segurança e fé dos cristãos secretos em países onde é ilegal compartilhar sobre Cristo.

– Ore pela saúde, perseverança e encorajamento dos cristãos que estão presos por causa do evangelho.

– Ore para que aqueles que perderam entes queridos devido ao martírio, confiem em Deus para receber fortalecimento.

Juntos, coloquemos nossos irmãos cristãos diante de Deus em oração.

O sangue dos mártires é a semente da igreja. (Tertuliano)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

História Viva

Quando vossos filhos vos perguntarem: Que rito é este? Respondereis: É […] Páscoa. (Êxodo 12:26-27)

Êxodo 13:14-16.

História Viva

Um famoso filme americano, Uma Noite no Museu retrata as experiências engraçadas vividas por um segurança no museu de história natural. Para ele, a diversão começa quando as obras mostradas adquirem vida durante a noite.

Inspirados pelo filme, os diretores de um museu criaram uma experiência parecida. Os funcionários representavam figuras históricas tais como: cavaleiros em suas armaduras, damas vitorianas e a nobreza egípcia. Quando as crianças chegavam ao museu, diziam-lhes que as personagens na exposição tinham adquirido vida e precisavam encontrar o caminho de volta ao seu lugar de origem. À medida que as crianças levavam os personagens da exposição aos seus devidos lugares, a história tornava-se real para eles.

As crianças não precisam ficar entediadas com a história, especialmente com histórias bíblicas. Veja Moisés, por exemplo: ele escapou da morte quando era criança, foi criado como um príncipe, realizou milagres e recebeu os Dez Mandamentos em tábuas. Elementos históricos interessantes que ensinam as crianças sobre Deus!

Muitas gerações já compartilharam as histórias bíblicas com crianças – desde os tempos do Êxodo 12-13 e Deuteronômio 6. Moisés descreveu as ocasiões em que eram recontadas às crianças, os relatos de vital importância na história judaica.

Por que você não separa um momento para ler as histórias da bíblia às crianças que fazem parte da sua vida? E quando a narrativa bíblica ganhar vida observe o entusiasmo delas!

Os que procuram arduamente, encontram os tesouros da Bíblia.


sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Perdidos e Achados

Porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado […]. (Lucas 15:24)

Os que já foram encontrados devem buscar os perdidos.

Leitura: Lucas 15:4-24.

Perdidos e Achados

Um artigo, de um jornal brasileiro, escrito por uma conceituada jornalista relatou os extraordinários esforços de um grupo de americanos de meia-idade. Eles tentam encontrar o carro favorito que um dia tiveram, mas perderam. Pesquisam anúncios de carros na internet, telefonando para ferros-velhos e até contratando especialistas que cobram pequenas fortunas por hora, para ajudá-los a encontrar o automóvel que já simbolizou sua juventude. Estes homens querem o carro que possuíram anteriormente, não apenas uma réplica dele.

Alguns considerariam que seus esforços são inúteis – um desperdício de tempo e dinheiro. No entanto, o valor de um carro, como o de muitos outros objetos, está nos olhos do observador.

Em Lucas 15, as pessoas desprezadas pela sociedade vieram ouvir Jesus, mas alguns líderes religiosos reclamaram dizendo: “Este recebe pecadores e como com eles” (Lucas 15:2). Para reafirmar quão valiosos estes “pecadores” são para Deus, Jesus contou três parábolas memoráveis sobre a ovelha perdida (Lucas 15:4-7), a dracma perdida (Lucas 15:8-10), e o filho pródigo (Lucas 15:11-32). Cada uma delas retrata a angústia da perda, o esforço da busca e a alegria de reencontrar algo de grande valor. Em cada história vemos a representação de Deus, o Pai amoroso, que se alegra com cada alma perdida que é resgatada.

Mesmo que você se sinta distante de Deus hoje, você tem grande valor para Ele. Ele está procurando por você.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

“Luz” da Criação


[Deus] faz coisas grandes e inescrutáveis e maravilhas que não se podem contar. (Jó 5:9
Jó 37:1-8.


“Luz” da Criação

Entre as maravilhas da Jamaica está uma massa de água chamada Lago Luminoso. Durante o dia é uma baía indescritível, na costa norte do país. À noite, uma maravilha da natureza.

Se você for até lá depois que escurecer, notará que a água está cheia de milhões de micro-organismos fosforescentes. A água e as criaturas brilham na baía, a qualquer movimento. Quando os peixes nadam perto do seu barco, por exemplo, eles resplandecem como vaga-lumes flutuantes. Enquanto o barco desliza pela água, o rastro brilha forte.

A maravilha da criação de Deus nos emudece, e esta é apenas uma pequena parte de todo o misterioso e impressionante trabalho das mãos de Deus, conforme descrito em Jó 37 e 38. Ouça o Senhor explicar o que a fez na majestade da natureza. “Porventura, sabes tu como Deus as opera e como faz resplandecer o relâmpago da sua nuvem?” (Jó 37:15). “Onde está ao caminho para a morada da luz? E, quanto às trevas, onde é o seu lugar” (Jó 38:19). As criações majestosas de Deus – quer sejam trovões reluzentes ou peixes resplandecentes – são mistérios para nós. Deus, porém, lembrou a Jó que todas as maravilhas do nosso mundo são o trabalho criativo de Suas mãos.

Ao observarmos a maravilhosa criação de Deus, nossa única resposta pode ser aquela de Jó: Estas são “cousas maravilhosas demais para mim” (Jó 42:3).


Se deixarmos de nos maravilhar, deixaremos de adorar.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Um Novo Déjà Vu

Depois disto, tornou Jesus a manifestar-se aos discípulos junto do mar de Tiberíades […]. (João 21:1)

João 21:1-14.

Um Novo Déjà Vu

Um lendário jogador de beisebol Yogi Berra é famoso por suas declarações redundantes, como esta: “Só acaba quando termina” e Já vi isso antes – é um novo déjà vu!

Fico imaginando se os discípulos sentiram um “já vi isso antes” quando viram Jesus perto da praia (João 21). Desanimados e distraídos pelas suas próprias necessidades, tristes pela negação de Pedro e por sua deserção a Jesus. Eles haviam abandonado seu chamado para segui-lo e voltaram à sua antiga ocupação – a pesca.

Entretanto, após uma noite de pesca fracassada, de uma voz vinda da praia se ouviu: “Lançai a rede à direita do barco e achareis” (João 21:6). Quando fizeram isso, as redes se encheram tanto que eles não conseguiam puxá-las. Sem dúvida, recordaram-se rapidamente do seu primeiro encontro com Jesus – quando Ele apareceu na praia onde trabalhavam e, depois de outra pesca maravilhosa, os chamou para abandonarem suas redes e segui-lo (Lucas 5:1-11).

Como os discípulos, nós também desejamos retomar a nossa lista de afazeres quando nos sentimos desencorajados na caminhada com Jesus. O Senhor, porém, reaparece na praia das nossas vidas para oferecer o perdão e nos levar de volta àqueles momentos em que Ele nos chamou primeiro.

É como um novo déjà vu – tudo se torna igual novamente.


Jesus nos chama para segui-lo – e repete o Seu chamado sempre que necessário.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Como Ajudar os Que Sofrem


Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor. (1 Coríntios 13:13)
1 Coríntios 13.

Como Ajudar os Que Sofrem

Quando perguntei as pessoas que sofrem: “Quem te ajudou?” ninguém citou o nome de um PhD de um renomado seminário ou de um filósofo famoso. Todos temos a mesma capacidade para ajudar quem está sofrendo.

Ninguém pode colocar em uma embalagem a resposta apropriada para o sofrimento. Se você for aos próprios sofredores, alguns se lembrarão de um amigo que alegremente os ajudou a esquecer uma doença. Outros considerarão tal abordagem ofensiva. Alguns preferem o diálogo franco e honesto; outros acham tal discussão insuportavelmente depressiva.

Não existe uma cura milagrosa para alguém que sofre. Essa pessoa precisa principalmente de amor, pois o amor detecta instintivamente o que é necessário. Jean Vanier, que fundou o movimento L’Arche (A Arca) para os deficientes mentais, afirma: “Pessoas feridas que foram machucadas pelo sofrimento e doença podem apenas uma coisa: um coração que as ame, se comprometa e que seja cheio de esperança”.

Um amor assim pode ser doloroso para nós. O apóstolo Paulo nos lembra o significado do amor verdadeiro: “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1 Coríntios 13:7).

Muitas vezes Deus costuma usar pessoas comuns para trazer a Sua cura. Aqueles que sofrem não precisam do nosso conhecimento e sabedoria, eles precisam do nosso amor.

Aqueles que não demonstram o seu amor não amam verdadeiramente. (Shakespeare)




terça-feira, 13 de outubro de 2009

Extravagância Olímpica

Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus. (Mateus 5:16)

1 Reis 10:4-10.

Extravagância Olímpica

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim em 8 de agosto de 2008 impressionou o mundo. Eu assisti pela televisão, enquanto mais de 90 mil pessoas assistiram ao vivo no Estádio do Ninho do Pássaro em Pequim. Foi inspirador saber mais sobre os cinco mil anos de história da China e as invenções que contribuíram para o mundo: a fabricação de papel, a impressora portátil, a bússola e os fogos de artifício.

A rainha de Sabá ficou muito impressionada com o que viu durante sua visita a Salomão (1 Reis 10:4-5). Os lugares de Jerusalém a deixaram tão estupefata que ela exclamou: “não me contaram a metade” (1 Reis 10:7). Acima de tudo, ela se surpreendeu com a sabedoria de Salomão (1 Reis 10:6-7). Ela estava convencida de que os súditos de Salomão eram felizes, pois estavam continuamente diante dele e ouviam a sua sabedoria (1 Reis 10:8). Ela terminou bendizendo ao Senhor de Salomão por torná-lo rei, para que ele pudesse “executar juízo e justiça” (1 Reis 10:9).

O impacto de Salomão sobre o seu povo me fez pensar sobre nossa contribuição para o mundo. Não nos preocupamos em impressionar os outros com os nossos bens ou habilidades, mas todos devemos cultivar o desejo de fazer diferença na vida das pessoas. Que tal se cada um de nós fizesse algo hoje que ajudasse as pessoas a louvarem ao Senhor.


Os cristãos são janelas através das quais Jesus pode brilhar.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Compreensão Mútua


Como águas profundas, são os propósitos do coração do homem, mas o homem de inteligência sabe descobri-los. (Provérbios 20:5)

Provérbios 16:16-22.



Compreensão Mútua



Uma das melhores formas de um homem amar sua esposa é compreendê-la. Pedro explica que para o marido esta atitude é um dever “vivei tendo consideração para com a vossa mulher” (1 Pedro 3:7).

Este princípio se aplica aos dois. Os maridos também querem ser compreendidos. Na verdade todos nós queremos. Todos nós, casados ou não, anelamos pela compreensão alheia no patamar mais profundo possível. Nós nascemos com essa necessidade e parece que jamais a superamos.

É um pretexto muito frágil dizer que não podemos compreender uns aos outros. Podemos e devemos. No entanto, estas atitudes exigem tempo – tempo na companhia do outro; perguntando e ouvindo atentamente, e depois prosseguindo na conversa. É assim tão simples e tão difícil. É claro que ninguém pode sondar completamente os mistérios do coração alheio, mas podemos aprender algo novo, todos os dias. O homem sábio que escreveu o livro de Provérbios chamou o entendimento de “fonte de vida” (Provérbios 16:22), uma profunda fonte de sabedoria para aqueles que o buscam.

Repito, a compreensão exige tempo – um dos presentes mais preciosos que podemos dar aos outros. A maneira que escolhemos para investir o nosso tempo é o indicador mais preciso, sobre o quanto nos importamos com aqueles que amamos.

Peça ao Senhor que hoje lhe dê a graça de dedicar um momento para compreender as pessoas importantes em sua vida.

Ouvir é uma porta aberta para a compreensão.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A Importância da Teologia

Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos. (2 Coríntios 6:14)

1 Reis 11:4-13.

A Importância da Teologia

Quando procuram por carros novos, os potenciais compradores buscam além do estilo exterior. Verificam o interior do carro para se certificarem que roda de forma eficiente e macia.

Na hora de escolher um cônjuge, alguns não cuidam tanto assim. Descobrem tarde demais que aquele corpo lindo e perfeito esconde um problema na alma. Homens e mulheres, ambos cometem tal erro, mas a autora Carolyn Custis James estava preocupada, especificamente com os homens, ao escrever: “O interesse da mulher por teologia deveria ser o primeiro detalhe a ser observado pelos rapazes. A teologia [dela] é repentinamente interessante quando ele enfrenta alguma crise, e, ela é a única pessoa por perto para lhe oferecer encorajamento”.

Salomão deveria saber disto, pois, ele era o homem mais sábio que jamais viveu (1 Reis 3:12; 4:29-34). Mas Salomão seguiu seus próprios desejos ao invés do comando de Deus, e, se casou com uma mulher que não tinha aliança com Deus (1 Reis 11:1-2). Os resultados foram desastrosos. A esposa de Salomão influenciou o coração do marido para outros deuses (1 Reis 11:3-4) e Deus se irou com ele (1 Reis 11:9) como consequência o reino de Israel se dividiu e foi derrotado (1 Reis 11:11-13).

A boa teologia é importante para todos. E é difícil tomar boas decisões se nossa aliança é com alguém que não conhece e não ama a Deus.



Crenças incorretas a respeito de Deus motivam escolhas pessoais incorretas.


sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Recompensas Reais


Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. (Mateus 5:3)

Mateus 5:3-12.

Recompensas Reais

Uma vez eu entendi as Bem-Aventuranças como dádivas que Jesus lançou aos desafortunados: “Já que vocês não são ricos, não têm saúde e vive chorando, eu entrego a vocês algumas belas frases para se sentirem melhor”.

Diferente dos reis medievais, que jogavam moedas para o povo, Jesus tinha a vantagem de entregar verdadeiras recompensas para Seu público. Ele que veio do céu, sabia que os despojos do reino do céu poderiam facilmente contrabalancear com qualquer mistério que pudéssemos nos deparar aqui na terra.

Entre muitos cristãos, a ênfase das recompensas futuras não são enfatizadas. Meu antigo pastor costumava observar, “À medida que as igrejas crescem em riquezas e sucesso, evitam cantar: ‘Aqui não é meu lar, um viajante sou’ e tornam-se mais aptos a entoar ‘Este é o mundo do meu Pai’”.

Que não nos atrevamos a descontar o valor da esperança, em recompensas futuras. Precisamos apenas ouvir a música composta por escravos americanos para reconhecer o consolo que dela advém. “Vem lentamente, vem, querida carruagem. Vem me buscar para me levar ao lar. Ninguém conhece os problemas que já enfrentei, ninguém os conhece, somente Jesus”.

Com o passar do tempo aprendi a respeitar e a desejar as recompensas futuras prometidas por Jesus.

Sombrias tentações serão recompensadas com brilhantes coroas.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Eu Sei Que Consigo!


Ora, àquele que é infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós […]. (Efésios 3:20)

Efésios 3:14-21.

Eu Sei Que Consigo!

Lembra-se da história do livro The Litlle Engine That Could? (O Pequeno Motor que Conseguia?) Aquele pequeno e decidido ser, escalou a íngreme colina fazendo soar a rima: “eu acho que consigo, eu acho que consigo” e assim, quanto mais confiança alcançava, ele começou a declarar: “Eu sei que consigo, eu sei que consigo”.

Ninguém discordaria que os seguidores de Cristo deveriam pensar e viver de maneira positiva. Mas você já se encontrou dependendo muito mais de suas próprias habilidades do que do poder do Espírito Santo que habita em ti?

Em João 15, Jesus explicou nossa necessidade por completa dependência nele quando disse: “Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (João 15:5). Paulo nos lembrou que; “tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4:13); “que a excelência do poder seja de Deus e não de nós” (2 Coríntios 4:7), e que nós somos “fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior” (Efésios 3:16).

Pelo poder de Deus, podemos fazer tudo o que Ele nos pedir – através dele. Podemos alicerçar nossa confiança, não em nossas habilidades, mas sim nas absolutas promessas de Deus.

Então, hoje, com muito mais poder do que aquele pequeno motor do trem poderia ter, podemos dizer: “Eu sei que consigo – Eu sei que consigo – por causa de Jesus”.


Deus capacita, aqueles a quem chama.

domingo, 16 de agosto de 2009

Reconheça o Rei

Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho […] [e] toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor. (Filipenses 2:10-11)


Filipenses 2:5-11.

Mensagem:

Reconheça o Rei

Quando eu era criança amava assistir o filme O Pequeno Lorde, a história era sobre um garoto, Cedric, que cresceu em uma casa pobre com sua mãe no Brooklyn, em Nova Iorque. Ele descobre que era descendente direto de Earl de Dorincourt e herdeiro de grande fortuna. Num dia, ele brincava de “chutar latinhas” nas ruas de Nova Iorque, e noutro, ele viajava para uma cidade da Inglaterra e é recebido aos gritos de “Vossa Excelência” pelos habitantes do vilarejo.

Se você tivesse visto Jesus brincando nas ruas de Nazaré quando menino, não teria visto nada especial nele (exceto que Ele não estaria brincando de “chutar latinhas” naquela época). Se você o tivesse visto na carpintaria, não perceberia Sua divindade. E se você o tivesse visto pendurado na cruz, não se sentiria atraído a adorá-lo, se não soubesse o que estava por trás desse episódio.

Mas em sua ressurreição, Jesus mostrou Sua verdadeira identidade. Ele é o Rei conquistador – absoluta realeza! Desde que “Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome” (Filipenses 2:9), quanto mais nós deveríamos adorar aquele, que em humilde entrega, morreu para tornar-se o nosso vitorioso Rei!


Reconheça e corresponda à realeza de Deus – adore-o!.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

As Doenças Fatais


Mas Ele foi transpassado pelas nossas transgressões […] e pelas suas pisaduras fomos sarados. (Isaías 53:5)

Josué 7:1,19-26.

As Doenças Fatais

Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) foi identificada em 2003, no Vietnã. Antes de ser controlada, a SARS se espalha pelo mundo matando cerca de 800 pessoas. Houve alto índice de mortalidade porque o vírus não era reconhecido inicialmente. Mas uma vez reconhecido, o vírus da SARS foi contido.

Há uma doença mais perigosa que toma conta do mundo – o pecado. É muito difícil controlá-lo, pois muitas pessoas não o reconhecem como mortal. E muitos disputam o que a Bíblia reconhece como pecado.

Em Josué 7, lemos a trágica história de Acã. Podemos horrorizar-nos com o tratamento que Deus lhe deu. Contra a ordem de Deus, ele escondeu alguns despojos de Jericó em sua tenda (Josué 7:21). Ele e toda sua família pagaram o erro com suas vidas (Josué 7:25).

Felizmente, Deus não nos trata da mesma maneira. Se Ele o fizesse, ninguém sobreviveria. No entanto, não podemos subestimar o perigo mortal do pecado. Foi o que levou Jesus até a cruz por nós.

Assim como a SARS, o primeiro passo para lidar com o pecado é reconhecê-lo pelo que ele é. Receba com gratidão o dom da vida eterna. Então “fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena” – as coisas egoístas que desagradam a Deus (Colossenses 3:5). Esse é o caminho para lidar com a nossa doença, a mais mortal.

Pecado é uma doença do coração que só pode ser curada pelo Médico dos médicos.


quinta-feira, 13 de agosto de 2009

A preocupação é um fardo que Deus jamais desejou que carregássemos.


Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós. (1 Pedro 5:7)

1 Pedro 5:6-11.


Transtornos



Você é alguém que se preocupa com tudo? Contas, futuro, questões do casamento, dívidas, saúde? A preocupação o envolveu a ponto de torná-lo uma “máquina de aflição”? Se isso descreve sua vida, talvez você tenha Transtorno de Ansiedade Generalizada – TAG ou, Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC, uma condição marcada pelo constante estado de preocupação com a maioria dos aspectos da vida. De acordo com David Barlow, professor de psicologia da universidade de Boston, “a principal característica psicológica do TAG é um estado de preocupação crônica e incontrolável”. Um pouco de ansiedade é normal, mas a preocupação constante não é.

Saturados pelo sofrimento e perseguição, os cristãos do primeiro século tiveram que sair de Jerusalém e se dispersaram pela Ásia (1 Pedro 1:1-7). Muitos destes seguidores de Jesus experimentaram sentimentos de aflição por possíveis perigos ou adversidades. Pedro encorajou-os a não se encher de ansiedade, mas que entregassem todas as suas preocupações a Deus (1 Pedro 5:7). Ele queria que percebessem que não precisavam carregar suas preocupações quando podiam entregá-las a Deus, que de maneira íntima e profunda, estava atento ao que acontecia com cada um.

Você preocupa-se com muita frequência? Deixe Deus ser responsável por suas ansiedades. Pare de se preocupar e comece a confiar completamente nele.

A preocupação é um fardo que Deus jamais desejou que carregássemos.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009


Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais. (Mateus 14:27)

Mateus 14:22-33.

Ele é Suficiente

Algumas vezes somos afligidos pela vida. As esmagadoras ondas de desapontamento; dívidas sem fim, doenças ou problemas com pessoas, podem nos trazer desesperança, depressão ou desespero. Isso aconteceu com os discípulos de Jesus, e comigo também.

Três declarações do Senhor que começam com o verbo “Ser ou Estar” oferecem-nos conforto, tranquilidade, e a esperança de que Jesus é suficiente. O primeiro está em Mateus 4, e é repetido três vezes: “Está escrito” (Mateus 4:4,7,10). Em resposta às três tentações de Satanás, Jesus nos deu provas de que a Palavra de Deus é verdadeira e vence as mais poderosas formas de tentação e pressão.

A segunda declaração, “Sou eu” (Mateus 14:27), foi dita quando Jesus disse aos Seus discípulos assustados que a Sua presença era suficiente para findar a tempestade e acalmar o mar.

Jesus falou o terceiro “Está” ao enfrentar a cruz: “Está consumado!” (João 19:30). Ele nos assegurou que Sua morte foi provisão suficiente para pagar a dívida pelos nossos pecados e nos libertar.

Quaisquer que sejam as circunstâncias, Jesus está presente com Seu amor, compaixão e graça. Ele é prova, presença e provisão suficiente para nos sustentar durante nossa travessia.


O amor de Deus não evita que sejamos julgados, mas nos ajuda a enfrentar os julgamentos.


quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Hálito de Menta, Você Quer?

Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo. (Gálatas 6:2)

Pensamento: Para ajudar outros em seu retorno a Cristo, ande com eles, mostrando-lhes ao caminho.

Leitura: Gálatas 6:1-5.

Hálito de Menta, Você Quer?

Há um novo site na internet para ajudá-lo a dizer a seu colega de trabalho aquilo que você receia dizer pessoalmente. Comentários como: “Hálito de menta seria uma boa idéia hoje”; “o toque do seu celular está muito alto” ou “seu perfume/colônia é sempre muito forte”. Você enfrenta problemas como esses de forma anônima, através de um correio eletrônico enviado pelo site.

É compreensível que sejamos cuidadosos ao falarmos com outras pessoas sobre algo que nos incomoda. Mas quando se trata de confrontar o pecado de outros crentes, o assunto torna-se sério. Gostaríamos de fazer isso anonimamente, mas devemos fazê-lo face a face.

Encontramos alguma direção para confrontar o cristão que está vivendo em pecado em Gálatas 6:1-5. O primeiro requisito é que devemos estar próximos do Senhor e que não nos consideremos superiores àquele que está em pecado. Depois, temos que olhar para a situação visando a restauração da pessoa, não trazendo condenação. Precisamos ter um “espírito gentil”, o tempo todo, cientes de que também podemos ser tentados. Jesus deu instruções que podem nos ajudar com as questões de pecados que praticamos contra nós mesmos (Mateus 7:1-5; 18:15-20).

Com a capacitação de Deus, podemos corajosa e sensivelmente confrontar e restaurar outras pessoas.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Nossa Bússola Moral


Se o meu povo […] se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra. (2 Crônicas 7:14)


Nada é politicamente correto se for moralmente incorreto.


Leitura: 2 Crônicas 7:1-14.


Nossa Bússola Moral



Quando Abraão Lincoln foi apresentado à escritora Harriet Beecher Stowe, dizem que afirmou que, ela foi a “pequena mulher que escreveu o livro que iniciou esta grande guerra”.

Apesar do comentário do presidente Lincoln não ser inteiramente sério, o romance de Stowe A Cabana do Pai Tomás foi um instrumento para a abolição dos escravos nos Estados Unidos. A representação gráfica do racismo e a injustiça da escravidão ajudou a liderar o início da Guerra Civil. Finalmente, a Proclamação de Emancipação de Lincoln declarou que todos os escravos “devem ser livres”. Deste modo, o romance de Stowe ajudou a transformar a bússola moral da nação.

Séculos antes, o rei Salomão foi avisado sobre algo que poderia mudar a bússola moral do povo de Deus – Israel. Era para começar com humildade e confissão. O Senhor falou a Salomão: Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra (2 Crônicas 7:14).

Como uma comunidade cristã, devemos em primeiro lugar fazer um inventário de nossas vidas. À medida que buscamos humildemente a Deus em oração e arrependimento dos pecados, as mudanças começam a acontecer em nossas vidas. Deus então pode nos usar para transformar a bússola moral de uma nação.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Alegrar-se


Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nEle. (Salmo 118:24)


Leitura: Salmo 30.



Alegrar-se



Um dos meus livros infantis favoritos foi Pollyanna, a história de uma garotinha otimista que sempre encontrava algo para se alegrar – mesmo quando coisas ruins aconteciam.

Lembrei-me recentemente daquela menina do livro, quando minha verdadeira amiga quebrou seu braço enquanto andava de bicicleta. Mariane me contou que estava agradecida por conseguir voltar com a bicicleta até em casa e por não precisar passar por uma cirurgia. Foi em seu braço esquerdo (ela é destra), então ela poderia trabalhar sem problemas. Não é maravilhoso, disse ela, que eu tenha ossos fortes, assim minha recuperação será ótima. E não é melhor ainda saber que nada de pior aconteceu!

Uau! Mariane é um exemplo de alguém que a aprendeu a se alegrar apesar dos problemas. Ela crê que Deus irá cuidar de sua vida – não importa o que vier a acontecer.

O sofrimento, eventualmente, alcança a todos. E em tempos de dificuldades, a gratidão não é nossa primeira resposta. Mas acredito que Deus nos olha com prazer quando descobrimos razões para sermos agradecidos (1 Tessalonicenses 5:16-18). Ao sermos realistas enxergando o bem, apesar das circunstâncias ruins, podemos ser gratos a Deus por nos manter próximos, em Sua presença. Ao confiarmos em Sua bondade, encontramos a alegria.

sábado, 1 de agosto de 2009

Biografia de Deus


Porque os atributos invisíveis de Deus […] percebidos por meio das coisas que foram criadas. (Romanos 1:20)

Pensamento: O Deus que criou o universo é o mesmo que você pode conhecer.

Romanos 1:16-20.

Biografia de Deus

Digamos que você seja muito famoso e que as pessoas querem conhecer tudo a seu respeito. Suponha que você me telefonou e perguntou: “Você escreveria minha biografia?” Digamos que aceitei e fiquei ao seu redor como uma mariposa em uma lâmpada de rua, zumbindo à sua volta em busca de informações relevantes a seu respeito. Eu lhe faria mil perguntas, pediria sua agenda de contatos para descobrir mais a seu respeito. Então, lhe pediria para me entregar quaisquer papéis, fotos e trabalhos relacionados à sua vida.

Eu procuraria por três componentes; o segredo para se conhecer alguém: o que você diz sobre si mesmo, o que os outros dizem a seu respeito e o que você tem feito. O que isso significa em sua busca para conhecer melhor a Deus? O que Ele diz sobre si mesmo, o que os outros dizem sobre Ele, e o que Ele tem feito?

Para conhecer a Deus de maneira nova e intensa, faça as três perguntas. Leia a Bíblia para descobrir o que Deus diz a respeito de si mesmo (Êxodo 34:6-7; Levítico 19:2; Jeremias 32:27). Descubra ao que os escritores dizem sobre Ele e Seus notáveis atributos (Salmo 19:1-4; Romanos 1:16-20; 1 João 4:8-10). E observe as maravilhas realizações de Deus (Gênesis 1:1; Êxodo 14:10-31; João 3:16).

Aprenda a conhecer Deus. Seja o escritor da biografia divina. Você aprenderá muito mais do que você possa imaginar.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Preparado Para Falar

[…] estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós. (1 Pedro 3:15)



Pensamento: É um terrível pecado de omissão permanecermos calados sobre o Salvador e Sua salvação.



Leitura: 1 Pedro 3:13-22.


Preparado Para Falar



Luiz e sua mulher estavam em uma lanchonete aguardando seus pedidos quando perceberam que, numa outra mesa havia quatro homens. Um daqueles homens zombava do cristianismo e da ressurreição de Jesus.

Luiz sentiu que o Senhor o impelia a responder. Mas o medo o impediu de fazê-lo. Finalmente, ele percebeu que precisava se posicionar. Então, dirigiu-se aos homens e começou a apresentar provas históricas da ressurreição.

Como reagimos diante de semelhante situação? O apóstolo Pedro incentivou os seus leitores a assumirem o compromisso de posicionar-se ao lado de Jesus, especialmente nos períodos de sofrimento extremo. Este compromisso significava não permanecerem calados quando as circunstâncias lhes garantissem o direito de defender sua fé. Ele declarou: “[…] estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3:15). A prontidão para responder exigia que conhecessem a Palavra de Deus. Eles deviam reagir com mansidão divina e temor, assim os seus perseguidores se envergonhariam de suas próprias atitudes.

Se Luiz permanecesse em silêncio ou reagisse de modo grosseiro, a causa de Cristo teria sido abalada. Mais tarde, Luiz escreveu: “Deus tem um jeito de nos tirar das nossas pequenas tocas silenciosas e quando Ele o faz devemos estar prontos para defendê-lo”.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

O Valor dos Amigos


[…] Jônatas o amava [Davi] com todo o amor da sua alma. (1 Samuel 20:17)

Pensamento: Um amigo é a primeira pessoa que aparece quando o mundo inteiro desaparece.

Leitura: 1 Samuel 20:12-17.

Mensagem:

O Valor dos Amigos

João Crisóstomo (347-407) era um dos maiores pregadores da igreja primitiva. Ele recebeu o nome de Crisóstomo, que significa “que tem lábios de ouro” por causa dos seus sermões eloquentes.

Esta é uma das suas brilhantes citações sobre o valor dos amigos: “Assim é a amizade, através dela amamos lugares e estações; pois assim como… as flores deixam cair as suas folhas suaves no solo ao seu redor, assim os amigos concedem favor até mesmo aos lugares onde vivem. Com amigos até mesmo a pobreza é prazerosa. Seria melhor para nós que o sol fosse extinto do que se ficássemos sem amigos”.

A história de Davi e Jônatas ilustra o valor da amizade. Apesar de Davi ser perseguido pelo insano rei Saul, ele tirava forças da sua amizade com o filho de Saul. “[…] Jônatas o amava [Davi] com todo o amor da sua alma” (1 Samuel 20:17). O relacionamento deles era caracterizado pela confiança, compreensão e encorajamento. Como teria sido difícil para Davi suportar esta perseguição injusta sem o apoio de uma amizade alicerçada no Senhor (1 Samuel 20:42).

A antiga voz de Crisóstomo e o testemunho de Davi e Jônatas nos lembram que precisamos nutrir as amizades que Deus nos deu.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

O Coração de Deus


Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. (Apocalipse 3:19)

Pensamento: O arrependimento restaura e renova nossa intimidade com o Senhor.

Leitura: Apocalipse 3:14-22.

Mensagem:

O Coração de Deus

É fácil pensar em Deus como alguém sempre disposto a nos castigar pelas menores falhas, alguém que fica só esperando você errar para corrigir Seus pecados. Mas não é isso que vemos em Apocalipse 2 e 3 em Suas cartas às sete igrejas. O padrão das cartas demonstra o coração amoroso de Deus por um povo desobediente.

Jesus iniciou muitas cartas reafirmando as boas obras realizadas pelo Seu povo. Isto mostra que quando fazemos o que é bom e correto, o Senhor se alegra.

Mas Jesus também se preocupa com as falhas que temos em nossas vidas. Nestas cartas o elogio geralmente era seguido por claras palavras de reprovação. E apesar de ser desconfortável ouvi-lo dizer: “Tenho, porém, contra ti […]” (Apocalipse 2:4,14,20), Ele revela o que precisa mudar em nossas vidas para evitar que nos enganemos.

Isto nos leva ao verdadeiro ponto central do assunto – arrependimento. Quando o Senhor ordenou que estas igrejas se arrependessem, Ele estava revelando o Seu amor pelos santos desobedientes. O Seu objetivo não era condená-los, mas restaurá-los para uma comunhão íntima com Ele.

O que Ele está dizendo a você hoje?

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Obstruindo o Caminho

Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. (João 14:6)

Pensamento: Não precisamos enxergar o caminho se estivermos andando com aquele que é o Caminho.

Leitura: João 14:1-6.

Mensagem:

Obstruindo o Caminho

Os antigos romanos eram famosos por suas estradas, que atravessavam todo império com amplas rodovias de tráfego intenso. O público que ouvia Jesus provavelmente imaginou esta cena quando Ele declarou: “Eu sou o caminho” em João 14:6.

Embora este versículo mostre que Ele é o caminho para o céu, na verdade existe algo mais na Sua declaração. Cortando entre a densa vegetação da floresta do nosso mundo interior, Jesus é o nosso guia nesta caminhada e Ele constrói um novo caminho para vivermos. Enquanto muitos seguem a trajetória do mundo amando seus amigos e odiando seus inimigos, Jesus delineia um novo caminho: “… amai os nossos inimigos e orai pelos que vos perseguem…” (Mateus 5:44). É fácil julgar e criticar os outros, mas Jesus o construtor de Caminhos diz para retirarmos primeiro a trave do nosso próprio olho (Mateus 7:3-4). E Ele abre um caminho para vivermos com generosidade ao invés de avareza (Lucas 12:13-34).

Quando Jesus disse: “Eu sou o caminho”, Ele nos chamava para abandonarmos os antigos caminhos que levam à destruição e para segui-lo em Seu novo caminho à vida. Na verdade, a palavra seguir (Marcos 8:34) significa literalmente, “ser encontrado no caminho” com Ele. Você e eu podemos escolher viajar por caminhos conhecidos e que no final são destrutivos, ou podemos segui-lo e sermos encontrados caminhando com aquele que é o caminho!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Até Que Se Tornou Forte...

[…] divulgou-se a sua fama até muito longe, porque foi maravilhosamente ajudado, até que se tornou forte. (2 Crônicas 26:15)



Pensamento: Jamais encontrei alguém que tenha me causado tantos problemas quanto eu mesmo. (D. L. Moody)



Leitura: 2 Crônicas 26:3-15.

Até Que Se Tornou Forte



Na fábula Lilith escrita por G. MacDonald os gigantes vivem entre pessoas comuns. Estes gigantes precisam realizar suas tarefas diárias com muito cuidado. Quando dormem, o seu ronco é perturbador. Quando se viram, as casas podem ser esmagadas sob o peso deles.

Na Bíblia, o Rei Uzias se transformou num gigante após tornar-se rei aos 16 anos de idade. As chaves para o seu sucesso estão descritas em 2 Crônicas 26. O seu pai Amazias foi um bom exemplo para ele (2 Crônicas 26:4). O profeta Zacarias o instruiu (2 Crônicas 26:5). Ele tinha um exército com homens guerreiros e generais capacitados que o ajudavam e Deus lhe concedeu prosperidade (2 Crônicas 26:5).

O Rei Uzias tornou-se um gigante através das bênçãos do Senhor. Mas após obter sucesso, foi negligente e cometeu erros graves. O indício do fim do seu período bem-sucedido está na expressão “[…] foi maravilhosamente ajudado, até que se tornou forte” (2 Crônicas 26:15).

Essas últimas cinco palavras servem como grande alerta para todos nós. “O coração de Uzias exaltou-se para a sua própria ruína” (2 Crônicas 26:16). Ele usurpou os deveres sacerdotais e tornou-se leproso (2 Crônicas 26:16-21).

Todos nós fomos maravilhosamente ajudados – pelo nosso Deus, por aqueles que Ele nos deu para servirem de exemplo para nós e por aqueles que servem junto conosco. Quando nos tornamos fortes, precisamos ser cautelosos ou também tropeçaremos.

terça-feira, 21 de julho de 2009

A Eternidade


Pôs a eternidade no coração do homem. (Eclesiastes 3:11)

Pensamento: Para aproveitar bem o hoje, pense sempre na eternidade.

Leitura: Eclesiastes 3:9-17.

Mensagem:

A Eternidade

Um dia vi um cenário de extrema beleza. Contra o céu acinzentado, a água de uma baía tinha um toque levemente esverdeado, quebrado pela espuma branca de pequenas ondas. Logo percebi que estas não eram espumas brancas das ondas, mas baleias brancas num bando que se alimentava a menos de 15 metros da praia. Juntei-me a outros espectadores; ouvindo o movimento rítmico do mar, acompanhando os graciosos e assustadores crescentes das baleias à tona. Todos estavam silenciosos e reverentes. Por um momento nada mais importava.

O autor do livro de Eclesiastes compreenderia esta reação. Ele viu com clareza resplandecente a beleza da criação do mundo e que Deus “pôs a eternidade no coração do homem” (Eclesiastes 3:11). Esta expressão elegante se aplica as experiências humanas, e certamente aponta para um instinto religioso. Nossos corações percebem a eternidade de outras formas além da religiosa.

Eclesiastes apresenta os dois lados da vida neste planeta: a promessa de prazeres fascinantes pelos quais podemos dedicar nossa vida para alcançá-los, e a percepção assustadora de que estes prazeres não nos satisfazem. A menos que reconheçamos nossos limites e nos sujeitemos aos preceitos de Deus, a menos que confiemos no doador de toda boa dádiva, acabaremos em desespero.

domingo, 5 de julho de 2009

Liberdade Perigosa

[…] não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor. (Gálatas 5:13)

Pensamento: A liberdade não nos dá o direito de fazer o que desejamos, mas fazer o que agrada a Deus.

Leitura: Gálatas 5:1-6, 16-21.

Mensagem:

Liberdade Perigosa

A liberdade é perigosa nas mãos daqueles que não sabem usá-la. Por essa razão os criminosos são confinados em prisões cercadas com arame farpado, barras de aço, barreiras de concreto. Pense numa fogueira seca e rapidamente se transforma num inferno ardente. A liberdade sem controle pode criar o caos.

Em nenhum lugar isto é tão evidente como na vida cristã. Os crentes estão livres da maldição da lei, da sua punição e do seu poder de produzir culpa. O medo, a ansiedade e a culpa são substituídos por paz, perdão e liberdade. Quem poderia ser mais livre do que aquele que é livre nas profundezas da sua alma? Mas é aqui que geralmente falhamos. Usamos o luxo da liberdade para viver de maneira egoísta, ou reivindicamos a posse daquilo que Deus apenas nos confiou. Caímos em nossos padrões de tolerância, especialmente em sociedades com maior afluência.

O uso adequado da liberdade é “a fé que atua pelo amor” para servir uns aos outros (Gálatas 5:6, 13). Ao confiarmos no Espírito e gastarmos nossas energias amando a Deus e ajudando os outros, as obras destrutivas da carne serão refreadas por Deus (Gálatas 5:16-21). Portanto, usemos sempre a nossa liberdade para edificar, não para destruir.

Como o fogo flamejante, a liberdade sem limites é perigosa. Mas quando controlada, é uma bênção para todos.